X

Notícias

BfK AWARDS distingue tecnologia wearable para artes de palco

 

CLAB Prémio Indústrias Criativas - Casa de Serralves, Porto, Portugal © André Henriques www.ahphoto.pt

CLAB Prémio Indústrias Criativas - Casa de Serralves, Porto, Portugal © André Henriques www.ahphoto.pt

O Quarteto Contratempus venceu o BfK Awards*, na edição 2018 do Prémio Nacional Indústrias Criativas, com o projeto “As sete mulheres de Jeremias Epicentro”, uma ópera cómica com tecnologias wearable. Na prática, trata-se de integrar no espetáculo dispositivos tecnológicos vestíveis por atores e cantores, com os quais os protagonistas podem manipular em tempo real a cenografia do espetáculo, o som, luz e vídeo.

“Temos a manipulação de som em tempo real, através da captação do som dos instrumentos e a sua transformação. Temos a deteção de gestos para lançamento de faixas áudio e a manipulação de som dentro de uma escala pré-definida. O dispositivo oferece ainda a capacidade de manipular conteúdos vídeo e luz” esclarece a Soprano Teresa Nunes, cofundadora do Quarteto Contratempus.

Aqui, a inovação reside na adaptação de sensores utilizados em equipamentos protésicos para fisioterapia remota, que foram investigados por Hugo Mesquita, e na respetiva aplicação para desenvolver hardware que consiga controlar audiovisuais em palco, numa parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Além de receber a distinção Born From Knowledge”, estas tecnologias wearable para controlar sistemas audiovisuais interativos em produções de artes de palco, mereceram também o 3º lugar do Prémio Nacional Indústrias Criativas, onde estava a concurso na categoria “Música e Artes do Espetáculo”.

O sistema integra um controlador digital em formato de luva que interpreta os gestos físicos dos artistas e comunica com um computador, permitindo controlar uma cenografia digital interativa. Sobre a forma como os espetadores receberam estas novidades, Teresa Nunes reconhece que “o público é sempre o nosso barómetro e até agora temos tido um feedback muito positivo”.

A aplicação numa ópera fica a dever-se ao facto de os autores do projeto considerarem que esta forma de expressão artística tem características significativas que a tornam um campo fértil para a pesquisa tecnológica. No ato da representação uma ópera é interativa por natureza e a tecnologia, historicamente, sempre esteve presente neste tipo de expressão de palco. Igualmente relevante é que uma ópera é formada por um conjunto de áreas artísticas que vão da música, às artes visuais, da escrita, à dança ou a representação.

 

 

* A distinção BfK Awards tem como objetivo premiar os projetos “nascidos do conhecimento”, que resultam das atividades de investigação e desenvolvimento (I&D) dos promotores, em colaboração ou não com entidades do sistema científico e tecnológico. Este programa é cofinanciado pela União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, enquadrado no Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (COMPETE 2020) do Portugal 2020.

para-BfK

 

Etiquetas: